Archive for Dezembro, 2009

Original vs. Cover

Dezembro 24, 2009

Anúncios

Cope-nada?

Dezembro 23, 2009

Mark Lynas, autor de Seis Graus – O Nosso Futuro Num Planeta em Aquecimento e autor do blog Mark Lynas’ climate blog, escreve sobre as razões que levaram ao fracasso da cimeira de Copenhaga.

The truth is this: China wrecked the talks, intentionally humiliated Barack Obama, and insisted on an awful "deal" so western leaders would walk away carrying the blame. How do I know this? Because I was in the room and saw it happen.

Artigo completo.

O tempo que fez… na última década

Dezembro 21, 2009

Análise cimatológica da década 2000-2009, Instituto de Meteorologia.

A análise dos dados meteorológicos preliminares para Portugal Continental indica que o ano de 2009 deverá classificar-se nos 10 mais quentes desde 1931, em relação à temperatura máxima e média do ar, com a temperatura média a situar-se cerca de 0.9ºC acima do valor médio de 1961-90 (normais de referência da Organização Meteorológica Mundial).

Nas últimas 4 décadas verifica-se que a década 2000-2009 foi, em relação à temperatura máxima, mais quente que a década 1990-1999, que por sua vez já tinha sido mais quente que a década anterior.

A tendência para um progressivo aquecimento á superfície, desde o início da década de 70 do século passado, é reflectida num aumento médio da temperatura média de 0,33ºC à década.

Esta tendência é confirmada com o registo da ocorrência dos 8 anos mais quentes depois de 1990 (1997, 1995, 1996, 2006, 1990, 1998, 2003 e 2009).

Durante a presente década verifica-se que só em 2008 se registaram valores de temperatura máxima e média inferiores ao valor médio 71-2000, sendo nos restantes anos sempre superior, realçando-se os extremos verificados n os anos de 2006 e 2009.

Em relação à precipitação verifica-se que durante a década 2000-2009, depois de 2004 só em 2006 se registaram valores de precipitação superiores ao valor médio. Nos restantes anos foi sempre inferior, sendo de realçar os anos de 2005 e 2007, que foram mesmo os mais secos desde 1931.

O relatório preliminar completo encontra-se aqui.

É impossível não reparar no facto de o relatório referir que nas últimas quatro décadas (desde 1970), se tem verificado uma descida dos valores da pluviosidade e uma subida  dos valores das temperaturas. Não fosse este um fenómeno global e poderíamos pensar que há um conjunto de alterações que a democracia trouxe à sociedade portuguesa que estão a ter impacto no nosso clima. Desde logo, o abandono do mundo rural e as migrações associadas (que podem ter efeitos como o de ilha de calor). Também o aumento brutal do consumo de energia relacionado por um lado com vulgarização do uso do automóvel, e por outro a melhoria das condições de conforto e de bem-estar da sociedade em geral.

Será que existem outras alterações na sociedade portuguesa nos últimos 40 anos que resultam em alterações do nosso clima? Ocorrem-me os incêndios florestais (que julgo terem-se tornado mais frequentes nas últimas décadas) e as alterações à própria floresta, de que é exemplo a introdução do eucalipto (que representa algo como 20% da floresta portuguesa) em substituição da floresta autóctone.

O tempo que fez ontem

Dezembro 10, 2009

Eis a minha nova estação meteorológica. Uma Oregon Scientific WMR200 completa com termómetro, higrómetro, anemómetro, catavento e pluviómetro, além da consola onde são mostrados todos os dados recolhidos. A estação já se encontra instalada e a funcionar em pleno. Não estou certo de que o local onde a estação foi instalada seja o mais indicado para uma recolha de dados isenta de inteferências de alguns edifícios ao redor, mas é o melhor local que tenho ao dispor para o efeito. A estação está instalada na zona da Ericeira, no lugar de Lapa da Serra a cerca de 2 km do mar.

Não sendo um entendido das questões da meteorologia, sou, pelo menos, um curioso da observação dos fenómenos e das variações meteorológicas. A esta curiosidade, juntei a constatação de que não há (que eu conheça) nenhuma estação meteorológica oficial no concelho de Mafra que permita a comparação com as normais climatológicas de Lisboa disponibilizadas pelo IM aqui. Apesar da próximidade geográfica, as diferenças no clima são bastante evidentes. A instalação (com uma grande dose de carolice) desta estação meteorológica é o primeiro passo para poder fazer essa comparação. De seguida, recorrendo ao Weather Display irei construir uma base de dados com a informação que for sendo recolhida pela estação. Futuramente espero disponibilizar aqui alguma da informação que for recolhendo e, quem sabe se um dia não porei os dados das observações online…

Para já, fica aqui algumas imagens do novo brinquedo.

 
A estação e o radiation shield.


Sensores de exterior montados no poste.

 
O pluviómetro.

 
A consola.