İstanbul – Porta do Oriente

Maio 8, 2006

Situada junto ao Bósforo (estreito que separa o Mar de Mármara do Mar Negro), a cidade foi fundada pelos colonos gregos liderados pelo Rei Byzas sob o nome de Bizantium. Byzas escolheu aquele local após ter consultado o oráculo de Delphos que lhe terá dito que deveria instalar-se num local oposto ao da “terra dos cegos”. O oráculo referia-se aos Calcedonianos, outros colonos gregos que se instalaram na margem oposta do Bósforo e que, segundo Byzas, deveriam ser cegos uma vez que não tinham escolhido aquela localização esplêndida, no acesso ao Bósforo, rodeada de água por três lados. Durante os séculos que se seguiram, entre 650 a.c. e o início do século I a.c., a cidade foi disputada e conquistada várias vezes por Persas, Espartanos e Gregos, até que finalmente, foi conquistada pelos romanos. Em 306 d.c., Constantino o Grande elevou Bizantium a capital do Império Romano mas agora sob o nome de Constantinopla. Durante o século V, o Império Romano foi palco de grandes convulsões, tendo os Bárbaros conquistado a parte Ocidental do Império, tendo Constantinopla mantido o estatuto de capital da parte Oriental do Império (Império Bizantino). Nos séculos que se seguiram, a cidade assistiu a grande expansão o que viria a torná-la alvo de grande cobiça por parte de Persas, Árabes, e dos Cruzados. Finalmente, enfraquecida por ataques constantes, a cidade viria a ser conquistada em 1453 pelos Turcos Otomanos liderados por Mehmet II. Este evento viria a marcar o final da Idade Média.
Sob o novo nome de Istambul, a cidade foi o ponto de partida das campanhas militares que deram origem da expansão do Império Otomano. Nos anos que se seguiram, Istambul tornou-se num grande centro político, cultural e económico. O domínio Otomano manteve-se até ao final da I Guerra Mundial. Por esta altura, já o Império Otomano estava em decadência e os impérios europeus se acotovelavam na ânsia de obter os melhores bocados que sobrariam da sua dissolução. Tendo feito aliança com a Alemanha durante a I Guerra Mundial, os Otomanos foram também vítimas de pesada derrota e Istambul acabaria ocupada pelas forças aliadas. Em 1923, liderado por Kemal Atatürk (Excelente Pai dos Turcos), aquilo que restava do exército Otomano consegui expulsar os exércitos invasores dando assim origem à actual República da Turquia. O preço que Istambul teve que pagar pela reconquista da independência turca, foi a perda do estatuto de capital em favor de Ancara.

Fazendo a ligação entre a Europa e a Ásia, Istambul continua a ser a maior cidade da Turquia com cerca de 13 milhões de habitantes e é também o maior centro económico, industrial e cultural. Com uma agitação idêntica à das outras grandes cidades europeias, o toque exótico de Istambul é dado pelas muitas mesquitas por toda a cidade e pelos sons próprios de paragens mais orientais.

Anúncios

Lucky Number Slevin

Abril 24, 2006

Filme de Paul McGuigan. EUA, 2006.

Lucky number slevin

As aparências iludem, mas por vezes, a ilusão criada acaba por desiludir… um pouco.
Aquilo que parece e que ilude é a troca de identidades que duas quadrilhas de gangsters fazem com Selvin, um jovem em maré de azar que está de visita a um amigo. Além de sofrer várias agressões e de constatar o misterioso desaparecimento do seu amigo, Slevin, por via da troca de identidades, acaba por ser responsabilizado pelas dívidas de jogo do seu amigo desaparecido. Rodeado de criminosos mais ou menos sinistros e sob vigia da polícia, Slevin acaba por fazer uso de um jogo duplo astuto e de uma parceria algo inesperada para resolver a situação a seu favor. É aqui, contudo, que a ilusão parece não corresponder às expectativas, apesar das interpretações à altura do luxuoso elenco.

Outra perspectiva sobre a previsível guerra contra o Irão

Abril 22, 2006

 Uma colecção de artigos sobre as razões que deverão levar os EUA a começar uma nova guerra, desta vez contra o Irão. Nestes artigos (tal como neste, neste e neste – uma pesquisa por "Iran Oil Bourse" encontrará mais alguns), argumenta-se que a verdadeira razão para a guerra que se avizinha e que está a ser planeada desde o início de 2005, pode não ser a ameaça nuclear, mas sim a Bolsa Iraniana do Petróleo (Iran Oil Bourse) que irá transaccionar exclusivamente em Euros.
Especula-se que terá sido o facto de o anterior regime iraquiano ter, em 2002, recusado aceitar o dólar como moeda de pagamento das exportações de petróleo do programa da ONU Oil For Food, que conduziu há invasão do Iraque por parte dos EUA.

O regime iraniano é certamente uns dos que menos simpatia nutre pelo Ocidente e essa é certamente uma boa razão para, nas instâncias apropriadas (nomeadamente junto da ONU), questioná-lo sobre as verdadeiras intenções do seu programa nuclear, contudo, usar a questão nuclear como argumento para iniciar uma nova guerra pode parecer algo excessivo, se levarmos em conta que, por um lado é um argumento semelhante ao usado na questão do Iraque (armas de destruição maciça) e que se provou ser totalmente falso e por outro lado, pode estar a servir de embuste para esconder a verdadeira agenda dos EUA. Dir-se-ia que aos poderosos todos os excessos são permitidos.
Um outro aspecto preocupante da questão, é o facto de a generalidade da comunicação social dar toda a cobertura à questão nuclear do Irão, sem procurar outros motivos para que toda a preocupação dos EUA se centre no Irão, especialmente quando existem no mundo outros países com programas nucleares fora do controlo da ONU e com líderes suficientemente insensatos para fazer uso deles para fins não-pacificos.

Túlipa

Abril 12, 2006

A túlipa é um género de planta da famílias das liliáceas com cerca de 100 espécies. Contrariamente ao que se pensa, as túlipas não são originárias da Holanda. Elas são originárias da Túrquia, tendo sido trazidas para a Europa no século XVI pelo botânico bávaro Conrad von Gesner. Existe também a teoria de que as túlipas foram introduzidas na Europa por Lopo Vaz de Sampayo, um governador português dos territórios portugueses na India, tendo este trazido os bolbos do Sri Lanka aquando do seu regresso a Portugal. Contudo, esta história é pouco credível, uma vez que as túlipas não se dão no Sri Lanka e a ilha fica fora da rota que Sampayo deveria tomar na sua viagem de regresso. Independentemente de quem as trouxe para a Europa, o grande responsável pela sua proliferação é Charles de L’Ecluse (Clusius), um professor na faculdade de medicina da universidade de Leiden, que no final do século XVI foi autor do primeiro grande trabalho sobre túlipas e era proprietário de jardins com grandes quantidades de túlipas.

Túlipa matizada

O nome da flor foi inspirado na palavra Persa tulipam que significa turbante, tendo o erro a sua provável origem no costume turco de usar flores nas dobras dos turbantes. As túlipas não crescem na natureza em climas tropicais, uma vez que elas necessitam de um Inverno frio para florirem com sucesso.
Algumas variedades de túlipas apresentam padrões com múltiplas cores. Este fenómeno tem a ver com mudanças nos pigmentos das flores da túlipa. Estas variedades matizadas (ou variegadas) obtiveram os seus vistosos padrões graças a uma infecção viral transmitida por um insecto do pessegueiro muito comum nos jardins europeus do século XVII. Porém, este vírus além de dar uma beleza extra às flores da túlipa, também acabava por lhes causar a morte. Actualmente, vírus está quase totalmente erradicado das plantações.
Durante os meses de Abril e Maio, ocorrem na Holanda e em partes da América do Norte grandiosos festivais de túlipas. A não perder!

Keukenhof, holanda

Münster

Abril 11, 2006

Münster é uma das mais antigas cidades da Alemanha com cerca de 1200 anos e fica situada na província da Renânia do Norte-Vestfália. Em 793, Carlos Magno enviou como missionário para converter os Saxões com quem havia travado uma guerra, o frísio Liudger, oferecendo-lhe o forte franco de Mimigernaford junto ao rio Aa no cruzamento da estrada de Colónia com a estrada para a Frísia. Liudger construiu a sua igreja e o seu claustro na margem direita do rio Aa, no cimo da Hosterberg. Era um mosteiro e daí (monasterium) deriva o nome Münster.
Em 1648, foi assinada em Münster e Osnabrück a Paz da Vestfália que pôs fim à Guerra dos Trinta Anos e que lançou um marco para a construção da Europa moderna. Mais tarde, em 1780, foi criada a Universidade de Münster que, ainda hoje com cerca de 40 mil estudantes, é um centro de excelência para a educação e investigação tendo grandes faculdades de artes, humanidades, ciências, Economia e Direito. Em 1802, Münster foi conquistada pela Prússia durante as guerras napoleónicas e foi elevada a capital da província Prussiana da Vestfália. Durante a II Guerra Mundial, a cidade sofreu grande devastação causada pelos raids aéreos das tropas aliadas, mas após o final da guerra, foi reconstruída no sue estilo original.

Primavera

Março 26, 2006

Primavera

Borne (Holanda), hoje.

O mercúrio no termómetro já vai perdendo a vergonha, enquanto na terra as primeiras flores começam a mostrar-se depois de vários meses de espera… o ciclo da natureza continua.

Pérolas na net

Março 25, 2006

Um novo favorito! 40tude Dialog é um cliente de newsgroups e e-mail com suporte unicode, suporte para múltiplos servidores, identidades, filtros, importação/exportação para formato mbox e mais uma quantiidade de funcionalidades que podem ser consultadas aqui.

Programa: 40tude Dialog
Author: Softwareentwicklung – Marcus Mönnig
Licensa: Freeware (para uso pessoal)
Site: http://www.40tude.com/dialog/

Forrest Gump

Março 23, 2006

Filme de Robert Zemeckis. EUA, 1994.

Forrest gump

Forrest Gump, um homem pouco dotado no que à inteligência diz respeito, conta a história da sua vida aos estranhos que com ele se sentam na paragem à espera do autocarro. Ele conta o seu encontro com Elvis e a morte da sua mãe. Conta a sua passagem pela universidade graças à bolsa que recebeu por fazer parte da equipa de futebol, o seu tempo na guerra do Vietnam onde se tornou herói ao salvar vários dos seus camaradas, os seus encontros com vários presidentes, o seu brilhantismo a jogar pingue-pongue, o seu sucesso nos negócios na pesca de camarão e o modo como ficou famoso por correr pelos Estados Unidos durante mais de três anos. Porém, todas as histórias acabavam por levá-lo até aquela que era a paixão da sua vida, Jenny, com quem Forrest constantemente se encontra e desencontra. No reencontro final, Forrest descobre que é o pai do filho de Jenny e que esta sofre de uma doença incurável e morrerá em breve, ficando ele com a responsabilidade de educar o seu filho.
Um filme capaz de elevar os espíritos mais desanimados.

Pérolas na net

Março 13, 2006

 De desconhecido a favorito. Foi assim o primeiro contacto com o VLC, um Media Player simples, mas cheio de capacidades. Ao contrário da maioria dos Media Players, o VLC trás à partida um grande número de codecs e é capaz de reproduzir um grande número de formatos tanto de video como de audio. Entre outras funcionaldades, permite a aplicação de alguns filtros durante a reprodução de videos (e.g. contraste, brilho, saturação, etc), tem suporte para legendas e permite fazer streaming de vários formatos. Uma descrição mais completa pode ser consultada aqui e o download pode ser feito a partir daqui. A última versão disponível neste momento (0.8.4a) está licenciada como sendo freeware e não é de surpreender que as versões futuras assim se mantenham, uma vez que o próprio código fonte se encontra disponível para download. Um regalo!

Dia Internacional da Mulher

Março 8, 2006

Celebrado pela primeira vez em 1909 nos EUA, o Dia Internacional da Mulher representa a memória de quase um século de luta pela igualdade, justiça, paz e desenvolvimento. Muito mudou num século, muitas conquistas foram alcançadas, especialmente nas sociedades ocidentais, mas as diferenças subsistem e portanto, é importante lembrar.

Provérbios e adivinhas

Fevereiro 15, 2006

"As surpresas acontecem quando menos se espera"

É bem verdade, de outro modo, não seriam surpresas. Centenas de provérbios e adivinhas, milhares de citações, tudo em língua portuguesa! Conferir aqui.

Nijmegen

Fevereiro 14, 2006

Nijmegen é a mais antiga cidade da Holanda com cerca de 2000 anos e fica situada na província de Gelderland, junto à fronteira com a Alemanha, nas margens do rio Waal (Valão). A cidade foi fundada pelos romanos (o seu nome original é Ulpia Noviomagus, que significa “novo mercado”) junto às ruínas de uma colónia Batava – Oppidum Batavorum – e ao longo da sua história, dada a sua importante localização estratégica, foi local de acolhimento para vários reis e palco de importantes acontecimentos. No século VIII, Carlos Magno tornou-se dono do “Forte de Nijmegen” e nesse local viria a erigir o seu palácio. Durante o século XII, foi o imperador alemão Frederico Barbarossa que construiu a sua fortaleza na cidade. As “ruínas de Barbarossa” podem ainda ser vistas no Valkhof Park. Mais tarde, na última metade do século XVII, foram assinados em Nijmegen os tratados que puseram fim à Guerra Holandesa travada por Louis XIV de França. Já no século XX, durante a II Guerra Mundial, a cidade sofreu um bombardeamento lançado por engano pelas tropas aliadas que vitimou 800 pessoas. Alguns meses mais tarde, em Setembro de 1944, a cidade foi libertada numa operação que culminaria na libertação de toda a parte sul da Holanda. Após o final da Grande Guerra, a cidade e o seu centro foram reconstruídos tendo contudo os seus monumentos sido preservados.
Actualmente, Nijmegen é um importante centro industrial beneficiando de privilegiadas vias fluviais e ferroviárias. A cidade tem mais de 150000 habitantes, dos quais cerca de 20% são estudantes nas universidades da cidade.

O Blog

Fevereiro 11, 2006

    Começa aqui o meu primeiro contacto com o mundo dos blogs. O tempo dirá se este contacto será curto ou longo, se será regular ou esporádico. Em qualquer dos casos, vou tentar fazer dele uma oportunidade para partilhar alguns dos meus interesses e algumas das minhas descobertas com… o mundo. Assuntos como software, filmes, música, livros, viagens (ou simplesmente passeios), entre outros, vão ter presença garantida nos meus posts. Assim o ânimo e a coragem que me levaram a dar o primeiro passo, me acompanhem ao longo da caminhada.