Archive for the ‘Cinema’ Category

Sleep With Me

Janeiro 15, 2008

… ou a teoria de que “Top Gun” é a história da luta de homem pela sua homossexualidade.

Technorati :
Anúncios

Hype!

Outubro 15, 2007

Documentário de Doug Pray. E.U.A, 1996.

Uma viagem desde as origens do movimento grunge em meados da década de 1980 até ao seu quase desaparecimento cerca de dez anos depois.
O movimento teve origem em Seattle, no noroeste dos E.U.A., numa altura em que a cidade não fazia parte do itinerário das tourneés das grandes bandas, criando assim espaço para as pequenas bandas da cidade se mostrarem em concertos em bares e pequenas salas de espectáculos. Simultaneamente, começaram a surgir pequenas editoras e fanzines quase artesanais que acabariam por tornar-se nomes de culto (como a SUB-POP) e que iriam ajudar à divulgação do fenómeno grunge. Na passagem da década de 1980 para 1990 quando bandas como Alice in Chains, Nirvana, Pearl Jam e Sound Garden começaram a ganhar popularidade, o grunge deixou de ser um movimento local de bandas de garagem formadas entre amigos e ganhou proporções globais, contratos milionários e atenção constante dos media. Esta exposição excessiva e a pressão dos media tornou o movimento numa moda com a qual os seus mentores não se identificavam e com a qual não sabiam e não queriam lidar. Os casos de Andrew Wood (Mother Love Bone) , Kurt Cobain (Nirvana) e Layne Staley (Alice in Chains), entre outros, são tristes exemplos dessa inadaptação à popularidade, à pressão dos media e ao consumo excessivo de drogas.
Além de muitos depoimentos de personalidades mais ou menos conhecidos do movimento grunge e de muita música, o documentário exibe também a primeira apresentação ao vivo de Smells Like Teen Spirit o hino que lançou para a fama não só os Nirvana mas também o grunge.


Technorati : , ,

loudQUIETloud: A Film About the Pixies

Junho 29, 2007

Doze anos após a separação, em 2004 os Pixies voltaram a reunir-se para uma tournée. Dois anos depois, em 2006, é lançado loudQUIETloud, um documentário realizado por Steven Cantor e Matthew Galkin. Segundo alguma crítica, o documentário deixa bastante a desejar, valendo essencialmente pela música.


Technorati : ,

Novo Tarantino, Velho Tarantino

Maio 31, 2007

Enquanto não estreia em Portugal – ou na Holanda – o mais recente (ansiado e desejado) filme de Quentin Tarantino, Death Proof (ou será Grindhouse?), pode sempre revisitar-se um clássico…

“Don’t be tellin’ me about foot massages – I’m the foot fuckin’ master.”

A estreia de Death Proof em Portugal está marcada para 19 de Julho deste ano (de acordo com o Cinema – PTGate).


Technorati : , ,

The Great Global Warming Swindle

Maio 7, 2007

Documentário de Martin Durkin. Reino Unido, 2007.
A discussão parece estar aberta mas não existe consenso quanto às causas do aquecimento global. Um documentário polémico, passado pelo Channel 4, com contribuições de vários especialistas em áreas relacionadas com o ambiente. Por entre dados científicos que parecem contradizer as actuais teorias de que o aquecimento global é provocado por acção humana, surgem acusações de que essas teorias podem estar a ser usadas para defender outros interesses que não os do ambiente.
Ver vídeo (~ 73 minutos).

An Inconvenient Truth

Janeiro 12, 2007

Documentário de Davis Guggenheim. EUA, 2006.

Um documentário sobre as alterações climáticas em que o principal protagonista é o ex-Vice-Presidente dos Estados Unidos Al Gore. O documentário é o primeiro em que parte das receitas geradas será canalizada para investimentos em energias renováveis com o intuito de anular as emissões de carbono que decorreram da sua produção (o mesmo tinha já acontecido com os filmes The Day After Tomorrow e Syriana).

No documentário, Gore faz mais uma palestra em que vai mostrando os seus slides com muitas imagens atraentes e com gráficos elaborados a partir das medições das temperaturas e quantidades de carbono na atmosfera das últimas décadas. Estas imagens e gráficos ilustram de forma clara as alterações para as quais Gore pretende chamar a atenção. O documentário segue fazendo uso de uma linguagem muito directa recorrendo frequentemente a exemplos concretos, ao bom estilo americano, que, por um lado espetam várias farpas nas anteriores administrações republicanas (Reagan, Bush pai e Bush filho aparecem fazendo declarações pouco amigas do ambiente – registadas durante os respectivos mandatos) e por outro, mostram momentos da vida pessoal de Gore e do seu trabalho como membro do Senado americano em favor do ambiente. Não tirando mérito nem significado à mensagem de Gore, estas passagens do documentário dão a entender que, além de um alerta para as questões relacionadas com as alteração climáticas, assistimos também a uma acção de propaganda destinada à promoção de Gore na corrida às eleições que decorrerão no final do próximo ano. Ainda assim, mesmo para o espectador não-americano, é o documentário a não perder.

Nota: O post anterior foi feito antes de ver o documentário, mas nele, a mesma foto e a mesma citação de Carl Sagan referidas no post são mencionadas. Suponho que se trata de uma coincidência no sentido em que quem disponibilizou o link para o site (no del.icio.us) deverá te-lo feito, muito provavelmente, por ter visto a referência à foto em An Inconvenient Truth.

Tags:

The Da Vinci Code

Maio 22, 2006

Filme de Ron Howard. EUA, 2006.

The da vinci code

Afirmar que é inspirado ou baseado no romance de Dan Brown com o mesmo nome, acaba por dizer pouco sobre o filme. Na verdade, a adaptação para filme é tão fiel à narrativa que deve ser possível contar pelos dedos as diferenças entre o filme e o livro, seja na sequência da história, seja nos próprios diálogos. Isto terá como desvantagens, por um lado, tornar o filme algo longo, e por outro, enchê-lo de recriações históricas, efeitos especiais e flash-backs onde são condensados todos os pedaços de informação que tornam a história coerente. No entanto, tem como vantagem o facto de disponibilizar àqueles que não tiveram a oportunidade de ler o livro (quase) toda a informação que este contém.
Não alterando em nada a polémica criada pela interpretação Dan Brown de alguns documentos (e.g. os evangelhos descobertos no Egipto em meados do século XX que descrevem o relacionamento de Jesus Cristo e Maria Madalena), o filme acaba por ser um entertenimento aceitável.

Lucky Number Slevin

Abril 24, 2006

Filme de Paul McGuigan. EUA, 2006.

Lucky number slevin

As aparências iludem, mas por vezes, a ilusão criada acaba por desiludir… um pouco.
Aquilo que parece e que ilude é a troca de identidades que duas quadrilhas de gangsters fazem com Selvin, um jovem em maré de azar que está de visita a um amigo. Além de sofrer várias agressões e de constatar o misterioso desaparecimento do seu amigo, Slevin, por via da troca de identidades, acaba por ser responsabilizado pelas dívidas de jogo do seu amigo desaparecido. Rodeado de criminosos mais ou menos sinistros e sob vigia da polícia, Slevin acaba por fazer uso de um jogo duplo astuto e de uma parceria algo inesperada para resolver a situação a seu favor. É aqui, contudo, que a ilusão parece não corresponder às expectativas, apesar das interpretações à altura do luxuoso elenco.

Inside Man

Abril 17, 2006

Filme de Spike Lee. EUA, 2006.

Inside man

Este é provavelmente o filme mais main stream de Spike Lee e não sendo isso necessariamente algo negativo, ele beneficia ainda de um argumento bastante engenhoso e inteligente.
Durante um assalto a um banco em Manhatan, são tomados 50 reféns. Enquanto a polícia de Nova Yorque faz todos os preparativos para garantir que consegue impedir o sucesso do assalto e salvar os reféns, o grupo assaltante faz também os seus preparativos para garantir que consegue levar até ao fim os seus intentos. Intentos esses que acabará por se ver que não passam por uma tentativa de roubo de dinheiro. Disto tem também a noção o próprio dono do banco – senhor de um passado que pretende manter escondido – que acaba por tomar medidas para garantir a segurança de informações vitais a seu respeito, introduzindo ainda mais agitação a uma situação já de si muito volátil. O desfecho não é exactamente inesperado, mas está bem conseguido. Durante o filme, assiste-se a constantes avanços e recuos no tempo em que decorre a acção e assiste-se também a uma série de diálogos carregados de um refinado humor.

Forrest Gump

Março 23, 2006

Filme de Robert Zemeckis. EUA, 1994.

Forrest gump

Forrest Gump, um homem pouco dotado no que à inteligência diz respeito, conta a história da sua vida aos estranhos que com ele se sentam na paragem à espera do autocarro. Ele conta o seu encontro com Elvis e a morte da sua mãe. Conta a sua passagem pela universidade graças à bolsa que recebeu por fazer parte da equipa de futebol, o seu tempo na guerra do Vietnam onde se tornou herói ao salvar vários dos seus camaradas, os seus encontros com vários presidentes, o seu brilhantismo a jogar pingue-pongue, o seu sucesso nos negócios na pesca de camarão e o modo como ficou famoso por correr pelos Estados Unidos durante mais de três anos. Porém, todas as histórias acabavam por levá-lo até aquela que era a paixão da sua vida, Jenny, com quem Forrest constantemente se encontra e desencontra. No reencontro final, Forrest descobre que é o pai do filho de Jenny e que esta sofre de uma doença incurável e morrerá em breve, ficando ele com a responsabilidade de educar o seu filho.
Um filme capaz de elevar os espíritos mais desanimados.

Twelve Monkeys

Março 12, 2006

Filme de Terry Gilliam. EUA, 1995.

Twelve monkeys

A história de um condenado que, no cenário pós-apocalíptico dos anos vinte do século XXI, é enviado numa viagem no tempo até aos anos noventa do século XX com o objectivo de descobrir a origem de um vírus que eliminou 90% da humanidade.
Quando após várias tentativas o destino preciso é finalmente alcançado, a pista que conduzia ao Twelve Monkeys Army acaba por se revelar falsa, mas ainda assim, suficientemente boa para identificar a verdadeira origem do vírus devastador. Mas será que ainda a tempo de cumprir o objectivo da missão?
O filme consegue de uma maneira inteligente manter a coerência que é normalmente difícil manter nos filmes que abordam o tema das viagens no tempo. Talvez porque neste caso, não haja a intenção de alterar os eventos do passado, mas simplesmente observá-lo para resolver os problemas do presente.

Munique

Março 7, 2006

Filme de Steven Spielberg. EUA, 2005.

Munique

Durante os Jogos Olímpicos de Verão, em Munique (1972), o mundo assiste pela televisão a um ataque terrorista sem precedentes. Um grupo de extremistas palestinianos invade a aldeia olímpica assassinando dois membros da equipa israelita e capturando outros nove como reféns. O que se seguiu foi uma longa e angustiante espera que culminou num massacre transmitido para todo o mundo. O filme mostra-nos a operação de vingança arquitectada pelo governo e serviços secretos israelitas que se seguiu ao ataque e que visava a liquidação de 11 homens alegadamente envolvidos no ataque de Munique.
Apesar de alguns esforços para a paz, em Israel e na Palestina o clima de guerra continua, ainda hoje, presente. Olho por olho, dente por dente.

Delicatessen

Fevereiro 18, 2006

 Filme de Jean-Pierre Jeunet e Marc Caro. França, 1991.

Delicatessen

Uma comédia mórbida e macabra cuja história gira em volta do habitual romance, que neste caso tem por protagonistas um palhaço de circo que acaba de se reformar e a filha míope de um sinistro talhante. Não é certamente o casal amoroso do dia-a-dia, mas são eles que lideram parte desta aventura salpicada de pormenores geniais. Jeunet voltou a usar alguns desses pormenores dez anos mais tarde com igual sucesso em O Fabuloso Destino de Amélie.